BRASILPOLÍTICA

“Já estava desgastado”, diz Michelle sobre móveis do Alvorada

A ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro (PL) rebateu a acusação da Secretaria de Comunicação da Presidência (Secom) do governo Luiz Inácio Lula da Silva (PT) de que 83 mobílias do Palácio da Alvorada tenha desaparecido durante a gestão do presidente Jair Bolsonaro (PL). De acordo com ela, não há nada de verdadeiro na declaração da Secom e que soubesse que seria acusada de ladra, teria filmado os móveis deteriorados da residência oficial da Presidência da República, que, de acordo com ela, já estavam avariados quando ela e o marido se mudaram para o local.

“Quando nós chegamos, o mobiliário já estava tão desgastado a ponto de que, se você sentasse, o estofado saia inteiro na sua roupa (…) Me acusam de furto, mas o que faltou foi uma transição (…) Se tivesse tido uma troca, uma conversa, não haveria dúvidas sobre onde estava e qual o estado do mobiliário do Palácio quando nós chegamos”, apontou a ex-primeira-dama em entrevista à CNN Brasil, lembrando que o seu administrador do Alvorada foi convidado a se retirar sob escolta do local, quando o presidente Lula e a sua esposa, Rosângela da Silva, a Janja, estavam se preparando para morar no local, após o petista ter tomado posse na Presidência.

Michelle afirmou ainda que foi informada pelos funcionários da residência oficial ao chegar lá que os móveis estavam deteriorados e que o enxoval existente no local era da época do governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB). De acordo com a esposa de Bolsonaro, ela levou o seu próprio enxoval para o local, já que  mudar a decoração e mover a mobília, mas “tudo é demorado e burocrático e está registrado” e que foi orientada sobre o assunto pela ex-primeira-dama Marcela Temer sobre como deixar mais personalizado a área reservada do Palácio da Alvorada.

 

 

 

 

 

 

Atarde, 17/04/2023

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito + 11 =

Botão Voltar ao topo