BAHIANOTÍCIASPOLÍCIA

Operação da PF em 14 estados contra fraudes no auxílio emergencial cumpre mandado em Salvador

operação da Polícia Federal (PF), deflagrada na manhã desta quinta-feira (10) em 14 estados, contra fraudes no auxílio emergencial, cumpriu um mandado de busca e apreensão em Salvador. O mandado foi expedido pela 17ª Vara Criminal da Justiça Federal, na capital baiana.

De acordo com a Polícia Federal, o investigado na Bahia cadastrou no aplicativo Caixa Tem, entre o final de maio e o início de junho deste ano, pelo menos 15 contas em nome de terceiros, para recebimento do auxílio.

Ainda segundo a PF, após os valores serem depositados nas contas, o suspeito realizava a transferência desses valores por meio de boletos bancários emitidos por ele próprio. As fraudes resultaram em um prejuízo de quase R$ 10 mil.

Em nota, a PF diz acreditar que a fraude seja muito maior, na medida em que os dados se referem a um curto período analisado. “Somente com o prosseguimento das investigações será possível determinar o montante exato do desvio, bem como a eventual participação de outras pessoas”.

A Polícia Federal destacou que investigados na operação, batizada de “Segunda Parcela”, responderão pelos crimes de furto qualificado mediante fraude, com pena de 2 a 8 anos de reclusão.

Nos 14 estados onde a operação foi deflagrada, foram expedidos sete mandados de prisão, 42 de busca e apreensão. Também foram determinados os bloqueios de valores de até R$ 650 mil em diversas contas que receberam o benefício irregularmente.

A operação ocorre nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraíba, Espírito Santo, Bahia, Santa Catarina, Tocantins, Paraná, Goiás, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Maranhão, Piauí e Mato Grosso do Sul.

Por conta da investigação, segundo a PF, foram bloqueados ou cancelados os cadastramentos de mais de 3,82 milhões de pedidos irregulares.

Ainda de acordo com a Polícia Federal, a operação impediu o saque indevido de R$ 2,3 bilhões.

Chamada “Segunda Parcela”, a ação é feita em parceria com o Ministério Público Federal (MPF) o Ministério da Cidadania (MCid), a CAIXA, a Receita Federal, a Controladoria-Geral da União (CGU) e o Tribunal de Contas da União (TCU).

Fonte: G1 Bahia, 10/12/2020

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × 4 =

Botão Voltar ao topo