BAHIAEDUCAÇÃONOTÍCIAS

Presidente da APLB-BA nega retorno das aulas sem professores vacinados: “Não vamos para o corredor da morte”

O presidente da APLB-BA, Rui Oliveira, negou a possibilidade de retorno das aulas em toda a Bahia antes que os professores de todas as idades estejam devidamente vacinados contra a Covid-19.

As taxas de novos casos e óbitos, segundo Rui, não dão segurança para o retorno da educação presencial. Em conversa com o BNews, ele disse que vai se reunir no início da noite desta quinta-feira (22) com o secretário de Saúde do Município, Léo Prates, e até a próxima semana espera conversar com o prefeito Bruno Reis.

Eles cobram a vacinação de toda a categoria, inclusive sendo respeitado o prazo de 15 dias para garantir a efetividade do imunizante.

A Prefeitura de Salvador já deu início à vacinação dos professores, mas, por enquanto, está limitada aos profissionais da educação infantil (crianças de 0 a 5 anos) de 55 a 59 anos.

” Não somos negacionistas, somos guiados pela ciência e ainda está aumentando o índice de contaminação e de óbitos”, afirmou o presidente do sindicato, que listou mortes recentes de educadores que estavam na linha de frente da entrega de cestas básicas para os estudantes nas escolas públicas.

“Já avisamos, ninguém vai para o corredor da morte […] em menos de 20 dias, morreram três, vítimas de Covid-19, um de 29 anos. Ninguém vai se colocar refém da morte não, a luta é pela nossa vida”, destacou.

O sindicato acena para a possibilidade de greve, caso não entrem em consenso com o poder público sobre o assunto. “[sem a vacinação] Não vai ter aula nenhuma. Nem na capital, nem no interior”, avisou o presidente da APLB-BA.

O Governo do Estado autorizou o retorno das aulas em alguns municípios e estabeleceu o critério de 75% de ocupação mínima dos leitos de UTI por cinco dias consecutivos. Inicialmente, o modelo será híbrido, com aulas remotas e presenciais.

Em Salvador, há uma grande expectativa para coletiva de Bruno Reis amanhã (23), quando ele pode anunciar a data de retorno das aulas na capital baiana.

Até às 15h, a cidade apresentava uma taxa de ocupação de 75%, vista internamente como adequada.

O titular da SMS, Léo Prates, assegurou ao BNews que os dados epidemiológicos “são favoráveis neste momento” e indicam que a doença está “sob controle”. No entanto, ele não confirmou se a Prefeitura pretende anunciar uma data para a volta às aulas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: BNews, 22/04/2021

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × cinco =

Botão Voltar ao topo